Revelação do trap ficou conhecido com músicas vazadas e por briga entre produtoras. Baiano de 19 anos liga o gravador no quarto e ‘solta verdades’, mas nunca fez show; ouça podcast.

Por Gabriela Sarmento

Teto: Conheça história de rapper que  foi disputado por produtoras antes mesmo do 1º lançamento

Como um rapper pode fazer sucesso nacionalmente em um ano de pandemia, sem shows e direto do interior da Bahia? Teto viu seu nome ganhar projeção ao fazer lives mostrando suas músicas.

O podcast G1 Ouviu conta histórias de cinco jovens MCs de trap que fazem muito sucesso e furam a bolha do estilo. Ouça acima.

Esqueça o glamour e a produção de grandes artistas em tempos pandêmicos. O artista baiano simplesmente abria o Instagram e cantava (e curtia) suas músicas.

O sucesso foi tão grande que saiu do controle. Os trechos das “prévias”, jeito pelo qual as músicas ficaram conhecidas, já que não tinham sido lançadas oficialmente, estão em vídeos com milhões de visualizações em canais que não pertencem ao rapper.

“Não foi nada planejado, na verdade. Sentia muita energia quando colocava meu som e eu precisava que a galera sentisse isso também. Fiz disso a minha saída”, explica ao G1.

“Pegava meu celularzinho, botava lá e fazia minha live. A galera entrava, eu mostrava meu som, curtia e isso contagiou muito a rapaziada. Foi uma parada muito massa, e a galera viu que eu era um moleque diferente”.

Teto começou fazendo lives na internet e mostrando as músicas que tinha feito em seu quarto — Foto: Reprodução

Teto começou fazendo lives na internet e mostrando as músicas que tinha feito em seu quarto — Foto: Reprodução

O lançamento do primeiro EP, “Prévias.zip”, aconteceu meses depois e rolou até uma disputa e briga entre produtoras que queriam o artista. Entenda “corrida de contratação” mais abaixo.

“Paypal”, “Manha”, ” Dia Azul” e “Fashion” já são conhecidas do público, apesar de Teto dizer que a última é inédita.

As faixas foram mixadas e lançadas no dia 1º de abril . Juntos, os quatro clipes acumulam mais de 15 milhões de visualizações.

Após essa temporada informal, Teto garante daqui para frente não tem mais prévia, apesar de ter mais de 100 músicas inéditas. Agora, é tudo organizado e dentro do cronograma.

“É como se tivesse pulado essa fase de transição desse garoto para a pessoa que sou hoje. Geralmente a galera espera que a gente trampe, faça um projeto bem feito de cara, mas aconteceu como tinha que acontecer e mudou muito a minha cabeça”, diz.

Mas quem é o Teto?

Clériton Sávio Santos Silva tem 19 anos e é de Jacobina, uma cidade mais de 300 km distante de Salvador, na Bahia.

Ele lembra de ouvir o pai tocando e cantando em casa desde os 8 anos, então pagode, axé e MPB são gêneros que sempre estiveram por perto.

Tanto que fazer parcerias com outros gêneros, como o funk, não é uma ideia descartada.

Teto começou a compor aos 12 anos e até hoje grava tudo no seu quarto, local de onde fez também a entrevista.

Rapper Teto faz sucesso no trap sem ter feito nenhum show na vida — Foto: Reprodução/YouTube/30praum

Rapper Teto faz sucesso no trap sem ter feito nenhum show na vida — Foto: Reprodução/YouTube/30praum

“Sempre me gravei aqui. Pego o beat, abro no programa de gravação e começo, vou cuspindo as verdades. Nunca escrevi uma letra na minha vida”, explica.

O conceito do 1º EP brinca com o nome do artista que anda pelo teto, de cabeça para baixo, mas também representa como ele se sentia.

“Era mais ou menos assim que eu me via quando estava no meu quarto gravando, via tudo invertido. Vim para virar tudo de cabeça para baixo, fazer aquela velha bagunça”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *